Socioambiental

Sistema Imunana-Laranjal

O SISTEMA

O Sistema Imunana-Laranjal é composto pelo Canal de Imunana, que capta e leva a água dos rios Guapiaçu e Macacu até a elevatória de água bruta através de um canal no município de Guapimirim. A água é então bombeada até a Estação de Tratamento de Água (ETA) do Laranjal.

Diagrama esquemático da ETA do Laranjal

A ETA do Laranjal fica no município de São Gonçalo. Ela é na verdade um complexo de produção e fornecimento de água potável constituído de três estações interligadas com vazão de 7 mil litros por segundo. Isso equivale a duas piscinas olímpicas e mais uma semi-olímpica. Por segundo! Após o tratamento, a água é bombeada pela Elevatória de Água Tratada para o Reservatório Amendoeira, com capacidade de armazenamento de 5.000 metros cúbicos.

Atualmente, o Sistema Imunana-Laranjal atende os municípios de Niterói, São Gonçalo, parte de Itaboraí, a Ilha de Paquetá (no município do Rio) e os distritos de Inoã e Itaipuaçu (em Maricá), totalizando quase 2 milhões de pessoas.

A HISTÓRIA

Na segunda metade do século XIX, a população de Niterói, capital do então Estado do Rio de Janeiro, crescia rapidamente, mas a cidade era abastecida apenas por nascentes e poços naturais. Foi então construída a Primeira Linha Adutora, com 80 quilômetros de extensão, na Serra dos Órgãos, entre as cidades de Cachoeiras de Macacu e Nova Friburgo.
Já em 1910, constatou-se que o acréscimo de vazão não era suficiente, e inciaram-se estudos para escolha do novo manancial. Em 1925, teve início a construção do Sistema de Captação de Águas de Serra de Paraíso. A Segunda Linha, Paraíso, recebeu 50 quilômetros de adutora, concluída em 1933 com mais 8 milhões de litros por dia, cerca de 220 litros por segundo.
Na década de 40, foi construído um canal artificial para drenar as áreas adjacentes frequentemente inundadas a partir do encontro dos rios Guapiaçu e Macacu. O Canal de Imunana foi então construído pelo Departamento Nacional de Obras e Saneamento (DNOS).

 

O então Estado do Rio de Janeiro enfrentou, na década seguinte, uma situação de calamidade pública, com o maior índice de doenças de origem hídrica: febre tifóide, disenteria e hepatite, entre outras. O governo assumiu a gerência do saneamento básico e inaugurou, em 1954, a Estação de Tratamento de Água (ETA) do Laranjal, em São Gonçalo, interligada ao sistema de captação do Canal de Imunana, que se utiliza das adutoras da 1ª Linha (Cachoeiras de Macacu) e da 2ª Linha (Paraíso).

ETA Laranjal (Década de 1960)
ETA Laranjal (Década de 1970)

O Sistema Imunana-Laranjal começou com vazão de mais de 500 litros por segundo, mas, em 1962, já produzia 3.100 metros cúbicos por segundo. Vinte anos depois, a ETA 2 acrescentou 2 mil metros cúbicos, e em 1998 a ETA 3 agregou mais 2 mil, dando ao complexo uma vazão total de 7 mil metros cúbicos por segundo.

NÚMEROS

Mensalmente, a ETA Laranjal consome cerca de 550 toneladas de sulfato de alumínio (coagulante), 5 toneladas de polieletrólito (auxiliar de floculação), 73 toneladas de cal micropulverizada (ajuste do pH) e 49 toneladas de cloro gasoso (desinfecção). Como forma de auxiliar na prevenção da cárie dentária, a fluoretação da água conta com 48 toneladas de ácido fluossilícico mensalmente.

O sistema de elevatória de água bruta contém cinco conjuntos de bombas que, através de adutoras, conduzem a água até a ETA Laranjal. Só a cidade de Niterói recebe da CEDAE, a partir da ETA Laranjal, cerca de 1.900 litros de água por segundo. A distribuição é feita pela concessionária Águas de Niterói, responsável pela operação e manutenção do sistema. Os demais municípios e a Ilha de Paquetá, no Rio, são atendidos pela concessionária Águas do Rio.

Município/localidade População em 1950* População em 2000* População estimada em 2020**
Niterói 186.309 458.465 502.000
São Gonçalo 127.276 889.828 1.200.000
Itaboraí 30.228 187.127 349.000
Inoã e Itaipuaçu (Maricá) 18.976 76.556 200.000
Ilha de Paquetá (Rio de Janeiro) xxx xxx 3.400 ***

*Fonte: Censo 1950 e Censo 2000 / ** Fonte: Dados fornecidos pela Gerência Imunana-Laranjal/ ***Data.Rio, Instituto Pereira Passos.

 

ETA Laranjal (Ano 2001)

 
Search