Socioambiental

REPLANTANDO VIDA

Maior empregador de mão de obra prisional do país, este programa socioambiental da Cedae une ações de sustentabilidade e ressocialização de apenados. Desde 2001, mais de 6 mil deles já trabalharam na área ambiental e diversas atividades, como confecção de uniformes e máscaras, jardinagem, obras e reparos. São remunerados e recebem auxílios transporte e alimentação, com benefício de redução de um dia de pena a cada três trabalhados.

O programa mantém sete viveiros de mudas nativas da Mata Atlântica na estação do Guandu, na Estação de Tratamento de Esgotos de São Gonçalo, na ETE Alegria, no Reservatório Victor Konder, na Caixa Velha da Tijuca, no Complexo do Alemão e na Colônia Penal Agrícola de Magé. As unidades têm capacidade de produzir 1,8 milhão de mudas por ano de 254 espécies, das quais 40 ameaçadas de extinção

As espécies são usadas na recuperação das matas ciliares de rios dos quais a Cedae capta água e doadas a órgãos que participam de projetos de reflorestamento e ações ligadas ao meio ambiente. Em 2021, mais de 95 mil mudas foram distribuídas a 44 municípios. Em 20 anos, mais de 4 milhões foram produzidas.

O programa recebeu o ‘Selo Resgata’ do Ministério da Justiça em três edições e foi contemplado com três prêmios da Fundação Firjan Ambiental. O mais recente, na categoria “Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos”, foi pelo Projeto Recuperação Produtiva da Juçara, de restauração ambiental da Palmeira Juçara (Euterpe edulis) por meio do incentivo à produção de mudas e ao plantio de árvores desta espécie, ameaçada de extinção.

Replantando Vida.

 
Search